Follow Us

Exercício de futurologia: Como pode ser o Vasco de Ricardo Sá Pinto, o “Coração de Leão”

Com a iminente contratação do português Ricardo Sá Pinto para assumir o comando técnico do Vasco, muitos se perguntam as principais mudanças que o novo treinador pode promover na equipe.

Foto: Hugo Delgado/Lusa

Sá Pinto trará consigo sua comissão técnica com auxiliar, preparador físico e analista de desempenho. Os salários de todos os profissionais juntos devem girar em torno de R$ 600 mil mensais.

O técnico português não costuma durar muito nos clubes onde trabalhou, o máximo que se manteve no comando de uma equipe foi no Standard Liége: 42 jogos ao longo de 364 dias, de acordo com o transfermarkt.

O também português José Mourinho é a grande referência do provável novo comandante da nau cruzmaltina. Guardiola e Sarri também são fontes de inspiração do treinador, que contou ao The Coaches’ Voice sobre como gosta que seus times joguem:

- A minha ideia de jogo passa pelo domínio do próprio jogo. Gosto de equipas agressivas com e sem bola e que nunca perdem o equilíbrio defensivo. O futebol exige uma certa imprevisibilidade. É preciso surpreender o rival, mas não podemos descurar o equilíbrio entre o saber atacar e defender ao mesmo tempo. Apesar de às vezes termos de arriscar para ganhar.

Ao mesmo site, Ricardo também fala que leva em conta a cultura do futebol do país em que está trabalhando. Ele diz ser necessário adaptar sua ideia de jogo às particularidades de cada escola de futebol e país. 

Quanto à formação, o técnico gosta de atuar em um 4-2-3-1, com um meio de campo que marque e também saiba jogar com a bola no pé. No seu esquema, Andrey deve se destacar ainda mais, roubando bolas e rompendo linhas na transição ofensiva.

A pressão alta é uma característica importante do esquema de Sá Pinto, logo a preparação física da equipe será de suma importância. O técnico costuma cobrar bastante esforço dos jogadores em jogos e treinos.

Nas laterais, a necessidade de apoio no ataque pode fazer com que Neto Borges assuma a vaga de Henrique na direita. Na esquerda, Pikachu pode se recuperar e reassumir a vaga, já que apoia mais que Cayo Tenório, ainda jovem.

Os atacantes de lado costumam jogar “de pé trocado”, atuando no lado oposto ao seu pé dominante. Porém, durante as partidas, foi comum ver o Braga de Sá Pinto ter inversões de jogadores. Pode haver, então, chance para os atacantes menos utilizados do elenco, como Lucas Santos e Gabriel Pec.

Assim, veja abaixo uma possível formação do time do Vasco, lembre-se que é apenas um exercício de futurologia baseado no último trabalho do treinador, ainda em 2019:






Postar um comentário

0 Comentários