Follow Us

Eleições: articulação das chapas pode gerar novas alianças

O mês de outubro será de campanha visando as eleições para a presidência do Vasco. As eleições estão previstas para o dia 7 de novembro e serão diretas, após decisão judicial que revogou a suspensão da AGE.

A última chapa a lançar seu candidato será a Sempre Vasco, que nesta terça (29), anunciará Julio Brant como candidato. Assim, serão oito candidatos entrando no mês de outubro: Augusto Ariston, Fred Lopes, Jorge Salgado, Julio Brant, Leven Siano, Luís Manuel Fernandes, Nelson Medrado e Alexandre Campello, que tenta a reeleição. A probabilidade de que os oitos candidatos cheguem à novembro no páreo, porém, é pequena.

Apuração de votos nas eleições de 2017 - Foto: Uol Esporte

As eleições do Vasco normalmente tem um número grande de candidatos no início da campanha, que conforme vai avançando, aglutina o número de chapas. Em 2017, apenas 3 chapas se mantiveram até o dia do pleito e durante a votação houve a desistência de Fernando Horta, deixando as chapas de Eurico e Brant/Campello concorrerem pela presidência. O pleito depois seria decidido na justiça, devido ao escândalo da urna 7.

Nas últimas eleições, houve um clamor da torcida para que Brant e Campello se unissem em uma única chapa para enfrentar Eurico Miranda. O resultado de tal aliança faz com que qualquer conversa sobre união para o pleito de 2020 seja pensado com cautela.

Campello se beneficiou da aliança com a Sempre Vasco e desta vez tentará reeleição, a chapa do mandatário mantém conversas com todas as outras chapas, exceto a Sempre Vasco, e pode angariar mais apoio de possíveis candidatos desistentes. Há informações de que Campelo pode receber apoio de uma chapa em breve, os grupos tentam aparar as divergências entre os candidatos para uma futura união. O presidente do Vasco tenta usar os cargos disponíveis para ter mais aliados e engrossar as fileiras em prol de um novo mandato.

Brant e Campello, com Monteiro ao fundo - Foto: Armando Paiva

Há ainda a mencionar que Campello está inelegível, de acordo com decisão da junta de recursos do clube, após pedido de impugnação de Elói Ferreira, vice presidente geral do clube e membro da identidade Vasco. A expectativa é que Campello consiga reverter a decisão na justiça.

Outro que pode reunir mais apoio é Leven Siano. O advogado teve reuniões com membros da Identidade Vasco e com o também candidato e grande benemérito Luís Manuel Fernandes. Uma união entre os dois já é ventilada há algum tempo, e a proximidade das eleições pode acelerar as conversas, o que é desejo de membros da Identidade Vasco.

Mais Vasco e Sempre Vasco dificilmente se unirão e devem chegar com chances ao pleito. Há ainda a possibilidade de uma nova chapa ser lançada pelo grupo “Casaca!”, caso Luís Manuel Fernandes se una a Leven Siano. O candidato do grupo seria o do benemérito Sérgio Frias, que já confirmou a informação ao Expresso 1898.

Com isso, o mês de outubro reserva muitas emoções e disputas no ambiente político do clube. Sem contar as prováveis intervenções da justiça no pleito, o que tem sido frequente no Vasco. O cenário das eleições permanece imprevisível.



Postar um comentário

0 Comentários