Follow Us

Eleições: primeira reunião acontecerá nesta segunda; Mussa ainda pode sofrer punições

Acontece nesta segunda-feira (31), às 17h, uma nova sessão virtual entre o presidente da Assembleia Geral, Faués Mussa e os demais presidentes dos poderes do Vasco. Dessa vez, a pauta é o início do processo eleitoral do clube.

Por Adrielly Ribeiro 

Foto: Jornal O Globo

Após uma longa briga na justiça por conta da Assembleia Geral Extraordinária, que apesar dos efeitos sub judice, conseguiu aprovação da eleição direta. As eleições do clube estão previstas para a primeira quinzena de novembro.

Mussa vai comandar a Junta Deliberativa, ela define a lista de votantes e os aptos a serem candidatos para o pleito presidencial. O presidente da Assembleia Geral segue na mira do Conselho Deliberativo, o prazo para defesa da sindicância aberta contra ele vai até o próximo sábado (no espaço de 10 dias da instauração do procedimento aberto por 7 votos a 4.).

Faues Mussa seguirá com o apoio de aliados, que vão seguir com ações na Justiça e contestações sobre um possível afastamento do presidente da Assembleia Geral, eleito pelos sócios e, por isso, assim defendem, só poderia ser afastado em nova Assembleia Geral. Não pelo Conselho Deliberativo. Caso seja afastado, assume o cargo o vice-presidente da Assembleia Geral e sub-procurador da República, Alcides Martins. Ele mora em Brasília e já afirmou que estará disponível para assumir a posição.

A reunião desta segunda-feira pode definir a data de corte para eleitores e elegíveis da eleição de novembro, que escolherá o sucessor de Alexandre Campello, provavel candidato à reeleição. 

De acordo com o ge, a semana pós-AGE deve seguir com diversas tentativas na Justiça, entre elas: decisão sobre liminar que suspendeu efeitos da AGE deste domingo; 

  • demais acusações de irregularidades cometidas por Mussa no processo da AGE; 
  • caso de anistiados que não tiveram direito a voto na AGE, o que vai se repetir nesse procedimento da AGO (Assembleia Geral Ordinária); 
  • caso de Mussa frente aos demais poderes do clube (Campello, Godói, Monteiro e Valentim), para anular possíveis novas ações contra o atual presidente da Assembleia Geral; 
  • mérito sobre a reforma estatutária, aprovada em Conselho Deliberativo do clube e suspensa da Assembleia Geral Extraordinária por decisão judicial; 
  • ação que pede documentos e informações da comissão de sindicância sobre o embasamento para enquadrar Mussa nos artigos do estatuto do clube.

Próximos Passos 

Mussa vai apresentar, ainda nesta semana, os documentos referentes à votação da AGE: Resultado, atas eparecer da auditoria. Cumprindo todas as recomendações da Desembargadora Flávia Romano de Rezende, da 7ª Câmara Cível, relatora do caso. Só então ela ratificará, ou não, o resultado da AGE.


Postar um comentário

0 Comentários