Follow Us

Conselho Deliberativo se reúne para discutir inquérito contra Mussa, que reconvoca AGE para o dia 30

A segunda-feira promete ser agitada para a política do Vasco. Haverá hoje uma sessão do conselho deliberativo para apurar a condução da Assembleia Geral Extraordinária feita pelo presidente da Assembleia Geral, Faues Mussa. 

Foto: Jornal O Globo

As decisões de Mussa desagradaram diversos grupos políticos do clube, que alegam o descumprimento de diversas regras do estatuto.

Entre os pontos que serão discutidos, está a votação separada da reforma estatutária e a eleição direta para presidente. A contratação da empresa ElejaOnline para realizar a AGE também está na pauta da convocação.

— Queremos a paz, mas não podemos deixar de observar as questões estatutárias e regimentais. E as decisões judiciais devem ser respeitadas. O objetivo, como o estatuto prevê, é resolver os conflitos dos poderes. Ninguém pode estar acima do estatuto e das decisões judiciais. Vamos, serenamente, resolver dentro do Vasco. Se há um conflito dos poderes faremos as ponderações necessárias. Vamos manter a institucionalidade, esperamos que todos tenham esse bom senso — afirmou Monteiro, ao jornal Extra.

Ainda segundo ao Extra, as movimentações em torno da reunião têm sido intensas. Há chances grandes de Mussa sofrer alguma punição do conselho deliberativo, uma vez que os grupos que defendem as atitudes do presidente da Assembleia Geral, Sempre Vasco e Mais Vasco, serem minoria numa possível votação.

Há ainda os trabalhos da junta que deveria analisar os pedidos de inclusão dos sócios aptos a votar que foram excluídos da primeira lista. Os trabalhos deveriam ter terminado até a última sexta, mas devido a constantes faltas de luz em São Januário e ao não funcionamento da secretaria no sábado impediram a conclusão dos trabalhos. 

Mussa reconvoca AGE para 30 de agosto sem reforma do estatuto.

No fim da manhã desta segunda-feira, Mussa reconvocou a AGE, prevista para terça (25), para o próximo domingo (30). A informação foi dada pelo jornalista do Globo, Bruno Marinho.

Seguindo decisão judicial, a nova convocação será apenas para votar a aprovação, ou não, das eleições diretas para presidente.



Postar um comentário

0 Comentários