Follow Us

Fabio Cordella, diretor de futebol de Leven, conta os detalhes de como conseguiu superar o Botafogo na disputa por Yaya

O mais inusitado dessa história entre Yaya, Vasco e Botafogo é o fato de um candidato conseguir vencer a concorrência de um clube pela contratação do marfinense. Se assinasse com o Glorioso, o caminho estaria livre e poderia começar a trabalhar a partir do momento que o futebol voltasse neste ano. Como preferiu fechar com o presidenciável do Gigante da Colina, Yaya Touré terá que esperar a eleição acontecer, para confirmar sua ida para São Januário.

Neste domingo, Fabio Cordella, diretor de futebol de Leven Siano, participou da live do Papo na Colina e contou todos os detalhes desta negociação.



''Quase três meses atrás, quando eu e Leven começamos a falar de jogadores, o que seria bom e o que não seria, do que ele gostaria de ter no time, falamos de concorrências, ele me disse uma coisa importante - o Vasco foi o primeiro clube na briga pelo racismo. Eu passei a pensar em um jogador que poderia ser um símbolo contra esse tema. Falando com o meu empresário Paul Brighten, ele me sugeriu o Yaya Touré. Então falamos do projeto, falamos da história do clube, que apesar de estar 20 anos em dificuldades, tem uma tradição grande. Foi fácil, não foi difícil'', Disse Cordella que explicou como o presidenciável conseguiu superar o Glorioso nesta disputa, além de explicar o motivo de não ter anunciado o atleta antes.

''O que acontece é que a Entourage fechou o contrato e o jogador já disse que estava tudo certo. Mandamos o contrato e todo mundo sabe que o Botafogo já tinha tentado há alguns meses fechar com Yaya. Cometemos um ato falho naquele momento, porque todo mundo se alimentou daquela situação, os torcedores, imprensa, redes sociais e o Botafogo acabou entrando duro de novo e eu acredito que tentaram bloquear o nosso negócio, que já estava fechado. Quando tem o ok por parte de todos já é um contrato informal. Não poderíamos apresentar oficialmente, então foram 10 dias duros. Tentando solucionar e conseguimos solucionar'', disse ele, que prosseguiu e falou da importância da sua credibilidade nesta situação.



''O mundo do futebol é pequeno, todos sabem quem é você, sabe quem está te cercando. Se eu coloco minha cara, se Entourage coloca a cara, que é uma empresa mundial, se o Roberto Carlos autentica o nosso projeto, é porque há um projeto esportivo muito importante. Não coloco minha cara porque o Leven é simpático, coloco minha cara porque o Leven me mostrou um projeto estruturado. tenho muita credibilidade no trabalho, conheço pessoas importantíssimas, tenho minha minha companhia, sempre estive no futebol'', comentou Cordella que apresentou algumas credenciais da Entourage, empresa que fez o meio de campo entre Leven e o marfinense. 

''Uma das companhias mais fortes que tem na Europa, que trabalha com patrocínios como Amazon, Fly Emirates, Nike, Heineken, além de outras companhias grandes. A Entourage futebol ainda é menos conhecida porque gosta de trabalhar com atletas jovens, mas trabalha com vários jogadores importantes, como Roberto Carlos, John Terry, Lugano,  Morientes e outros'', relatou.


Confira a entrevista completa:

Postar um comentário

0 Comentários