Follow Us

A torcida do Vasco precisa salvar o Clube novamente em 2020

Com a publicação do balanço do ano de 2019, foi possível ter noção da realidade do Vasco da Gama no ano passado e também projetar o cenário para o resto deste ano, e não será fácil.

O clube terminou o ano passado com um déficit de R$ 5 milhões de reais e viu sua dívida aumentar em R$ 37 milhões de reais, mas este não é um grande problema, já que é uma dívida que poderá ser paga com mais tempo, então não afeta o caixa do clube agora, no momento mais complicado. Este é o processo de organizar a dívida que já tinha sido mencionado antes pelo ex-VP de Finanças Adriano Mendes e o atual Carlos Leão, em entrevista publicada pelo canal “Atenção, Vascaínos!”. Para o ano de 2020, o clube tem cerca de R$ 60 milhões de dívidas vencendo e isso, aliado ao adiantamento de cotas de TV feitas na assinatura do contrato pelo ex-presidente Eurico Miranda, mina boa parte da fonte de dinheiro do clube.



Além disso, o dinheiro que entra no clube neste ano será ainda menor que o ano passado. A Rede Globo já comunicou aos clubes que quer reduzir o valor a ser pago pelos direitos de transmissão por perda de receitas em consequência do Covid-19 e o clube já perdeu um parceiro pelo mesmo motivo. Então é de novo a hora da torcida salvar o clube.

Em 2019, praticamente todas as receitas do clube tiveram alta, como bilheteria que aumentou R$ 5 milhões, chegando a R$ 16 milhões e o sócio torcedor, que triplicou, chegando a R$ 36 milhões de reais, de longe a maior receita do clube fora cotas de TV. Somente com esse aporte financeiro do torcedor, que também está financiando o Centro de Treinamento do clube, foi possível o Vasco sobreviver a um ano em que a gestão não foi capaz de gerar mais receitas, assim como também não soube gastar melhor o que tinha.

Segundo o Governo Federal, foram feitos pagamentos de auxílio emergencial do Covid-19 a mais de 50 milhões de brasileiros e isso vai afetar também as receitas geradas pela torcida. Muitos dos sócios foram feitos através de doações de vascaínos em melhor situação financeira, vascaínos influentes, famosos, àqueles que estavam sem emprego, ou com a renda comprometida com suas contas. O número de desempregados no país aumentou consideravelmente e isso também afeta o sócio torcedor, já que se inicia neste mês de maio a renovação dos 150 mil novos sócios que entraram na promoção de novembro.

Para que o clube não sofra tanto as consequências, ele precisa dessa renda do sócio torcedor, que pode ficar perto de duplicar, já que na promoção, os torcedores pagaram apenas a metade do valor do semestre. Para que isso ocorra, será necessária uma nova mobilização em massa dos torcedores, assim como uma adaptação por parte do clube, já que não será possível o atendimento presencial que foi fundamental na adesão de milhares de pessoas nas lojas oficiais do clube. Um fator interessante é que o clube possibilitou aqueles que já são sócios e tem interesse a pagar um valor adicional do plano Camisas Negras, de R$ 7,98, para ajudar ainda mais o clube e parte desta renda será revertida em ações sociais contra o Covid-19.

Outro ponto que a torcida pode ajudar o clube é na abertura de contas gratuitas no banco do Vasco, o Meu Vasco BMG. Esta campanha não teve a mesma adesão do torcedor, apesar de ter sido lançada no período de pico da divulgação da promoção dos sócios. Ao abrir uma conta no banco, o torcedor não paga nada e nem precisa depositar nenhum dinheiro na conta ou usar o cartão de débito ou crédito que chegará a sua casa. A cada mil novas contas, o clube recebe R$ 200 mil reais para as obras do Centro de Treinamento.

A última forma do clube passar pelo ano de 2020 com o mínimo de problemas possíveis é a venda de jogadores. O planejamento em relação a 2019 parece ter sido melhor feito neste sentido, já que o clube tem colocado seus jogadores com maior valor de mercado na vitrine e dando chances no time profissional e o resultado já é visto pelas especulações. Antes da quarentena, várias notícias internacionais indicam o interesse de diversos clubes na contratação de Andrey e Talles Magno, assim como interesse de clubes brasileiros na compra de Marrony e monitoramento da situação contratação de Raul. Em 2019, nenhuma venda foi feita e esse foi um dos fatores principais do aumento de dívida e déficit do Vasco no ano passado.

Dito isto, a pandemia afeta a todos e já foram feitos adiamentos de pagamento de dívidas e outros podem ainda acontecer. Isso seria benéfico para o clube, adiando o prazo para um momento em que as receitas estejam mais garantidas e maiores.

Por: Rick de Castro

Postar um comentário

0 Comentários