Follow Us

Entenda por que os clubes Nordestinos estão à frente do Vasco


Nos últimos anos, o futebol brasileiro tem sofrido uma grande mudança de paradigma no que se refere à gestão esportiva.

Neste novo momento, clubes como Fluminense e Vasco, além de não disputarem os principais títulos, tem dificuldade para atrair bons jogadores perdendo na disputa para times menores - mas bem administrados e com boa estrutura.

Neste novo momento, três Clubes do Nordeste dão uma grande demonstração de crescimento.
Como prova disso, Bahia, Fortaleza e Ceará terminaram o Brasileirão 2019, à frente de Vasco, Atlético-MG, Fluminense, Botafogo e Cruzeiro - que acabou rebaixado.

A ascensão dos nordestinos não é à toa.
Para entender melhor, em 2017, o Bahia fez uma projeção de 119 milhões de reais para 2018. Sendo quase R$70 M de cotas de TV, R$16 M em bilheteria e apenas R$ 7 M em vendas de jogadores.

Ultrapassando a projeção, o clube terminou 2018 com um recorde de R$ 136 milhões, considerando
Cotas de TV, Sócio Torcedor, Bilheteria e Vendas de jogadores.
Já para 2020, a projeção é de arrecadação de R$ 179 M, com previsão menor de receitas de TV, mas crescimento no Sócio Torcedor, aumento de receita com a loja própria e marca de material esportivo próprio.

Paralelamente, nesse período o endividamento do Tricolor também diminuiu, com o orçamento para o futebol girando sempre em torno de 70% da receita total.
Este ano, o clube já inaugurou seu novo CT - muito elogiado pela ótima estrutura, considerada uma das melhores do país.

O caso dos clubes cearenses é ainda mais interessante. Ambos não figuravam entre as maiores receitas da região por anos, liderada por Bahia, Sport e Vitória, mas esse jogo mudou.

Por não terem cotas de tv asseguradas com o Grupo Globo, ambos sempre tiveram receitas menores que seus concorrentes diretos.
Mas, os anos seguidos de boas administrações com superávit, os fizeram inverter esse quadro.

Em 2020, com ambos por mais uma temporada na Série A, o Fortaleza tem previsão de R$109 M e o Ceará R$100,5 M.

Com boa parcela do orçamento destinado ao futebol, boa estrutura, salários em dia e estádios cheios, os clubes nordestinos tem conquistado bons resultados, assim como atraído bons jogadores, caso do atacante Rossi, que deixou o Vasco e se transferiu para o Bahia.

Falando em Vasco... porque este clube Gigante está tão atrás de clubes de organização recente?
É o que você vai entender na próxima Coluna!

Postar um comentário

0 Comentários